sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Alimentação na Gestação

Durante a gestação, o metabolismo fica mais acelerado, a fome aumenta e, por isso, é preciso adequar a alimentação em quantidade e qualidade, para que a gestante e o bebê não sejam privados de nenhum nutriente. Como nenhum alimento é completo, é fundamental diversificar a dieta. No que diz respeito a frutas e vegetais, se oriente pelas cores, varie, pois, quanto mais colorido é o prato, maior é a ingestão de nutrientes diferentes. A alimentação equilibrada também evita o excesso de peso e desconfortos como cansaço, náuseas, constipação intestinal e gases.

A necessidade de calorias pode aumentar um pouquinho conforme a gravidez avança, mas é muito pouco, então, cuidado (!) porque não é comer para dois. Este é um erro comum e o excesso de peso traz muitos problemas para a mãe e para o bebê. Agora também não é hora de fazer regimes e nem esforços para emagrecer, o importante é se alimentar de maneira saudável e sem excessos, pois o seu corpo necessita de muitos nutrientes diferentes para garantir um crescimento saudável e adequado para o seu bebê. Equilíbrio é a palavra de ordem!

Abaixo, relacionamos alguns alimentos que devem ser evitados, ou consumidos com cautela, durante a gestação (converse com seu médico!):
-     Carnes cruas ou mal passadas, principalmente para pacientes susceptíveis a toxoplasmose
-     Peixes e frutos do mar crus (então atenção para a comida japonesa); 
-     Bebidas alcoólicas
-   Alimentos que contenham muito sódio pois, na gravidez, aumentam o risco de inchaço e também o aparecimento de hipertensão. Por isso, MUITO cuidado com estes alimentos, como embutidos, enlatados, temperos prontos, molhos prontos. A recomendação é que um produto não tenha mais que 400mg de sódio por porção, acima disso já é exagero e fará mal ao organismo. Aprenda a ler os rótulos.


Alimentos com cafeína devem ser consumidos com moderação, como café e chás, como chá mate, chá verde, chá preto, chá vermelho, chá amarelo, chá vermelho.
Doces também devem ser consumidos com MUITA moderação, pois não acrescentam nada de nutritivo à alimentação e aumentam a ingestão de calorias.
Grávidas SÓ DEVEM usar produtos que contém adoçantes na composição (DIET e/ou LIGHT), com orientação médica ou de nutricionista. Os adoçantes presentes nestes produtos devem ser a Sucralose ou a Stévia.

E beba muita água, pois é fundamental nesta fase que você está vivendo.

Naqueles casos em que a dieta seja necessária, como, por exemplo, no caso do diabetes gestacional e/ou excesso de peso, deverá ser orientada por médico ou nutricionista, sendo avaliada caso a caso. Poderá ser recomendada uma restrição calórica, cortando ou reduzindo a ingestão de certos grupos alimentares. Produtos DIET e/ou LIGHT podem ser prescritos, mediante necessidade.



DIET X LIGHT - Você sabe qual é a diferença entre eles?

O alimento DIET é indicado para indivíduos que apresentam patologias em que um determinado componente alimentar não pode ser ingerido ou deve ser consumido em quantidades limitadas. Podem-se citar como exemplos: o açúcar, no caso dos diabéticos; o sódio, para os hipertensos; a gordura, para quem tem colesterol alto, etc.

Por esse motivo, se um alimento contiver uma quantidade de açúcar, sódio ou colesterol abaixo do limite estabelecido em LEGISLAÇÃO, ele pode ser classificado comercialmente como DIET. Basta que apenas um destes componentes esteja ABAIXO DO LIMITE. Sendo assim, um alimento que não contém açúcar, é considerado diet, mesmo tendo uma quantidade de calorias semelhante ao seu similar não diet. Essa semelhança no valor calórico é, muitas vezes, em função da grande quantidade de gorduras que é usada na preparação do alimento, com o objetivo de dar mais sabor e textura ao mesmo. Esse limite, citado acima, é definido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e cada componente tem sua quantidade mínima estabelecida, o que classifica o produto como DIET, ou não.

Um produto é considerado LIGHT se contiver uma redução de no mínimo 25% do valor calórico ou porcentagem dos nutrientes em relação ao tradicional. O importante no consumo destes alimentos é saber que o alimento LIGHT também pode engordar ou prejudicar a saúde, então não é porque é LIGHT que pode ser consumido à vontade.

É preciso observar e saber analisar os rótulos dos alimentos, pois é onde estão contidas todas as informações que irão te ajudar na melhor escolha do que consumir. E, o mais importante: seja por necessidade (nos casos de diabetes gestacional e obesidade) ou por vontade, não faça dieta por conta própria. 

A gestação é um período muito delicado e que requer cuidados específicos, com orientação profissional. Alimente-se bem e mantenha a sua saúde e a do seu bebê em dia!

Raphaella Cordeiro
Nutrição clínica, esportiva e reeducação alimentar

https://www.facebook.com/raphaellacordeironutricao?fref=ts
https://www.youtube.com/channel/UCbcFMORvaa7ZFT-YYuo0Fww



Nenhum comentário:

Postar um comentário